Blog do Hektor

https://jornalistaheitormenezes.blogspot.com.br/

terça-feira, 15 de dezembro de 2020

 

AS

 

FLORES

 Link 1: Vídeo com o livro original "As Flores"

 

O Livro "As Flores", de 1985

 

MARCO ALEXANDRE

DA

COSTA ROSÁRIO

 


POESIA


 

EDITORA MORANGOS & UVAS

(SEACULUM OBSCURUM)

 

*BLITZBUCH*

1985


POEMAS - ÍNDICE

 

1.    LÍRIO

 

2.    GERÂNIO

 

3.    BÉTULA

 

4.    CRISÂNTEMO

 

5.    ÍRIS

 

6.    JACINTO

 

7.    RANÚNCULO

 

8.    DÁLIA

 

9.    CAMPÂNULA

 

10.          CRIANÇAS FLORES NO JARDIM PSICODÊLICO

 

11.    LILY (VERSÃO EM INGLÊS - 2002)

 

 

LÍRIO


Pintura "Lírio", de 1985


Poema original "Lírio", de 1985

  

JARDIN

 

ICH

 

ILLUSTRO

 

AVEC

 

MY

 

SCINTILLO

 

O  DEIN

 

LAMENT

 

JE MI LLAMO

 

LÍRIO

 

LÍRIO

 

LÍRIO

 

LÍRIO

 

 

 

 

GERÂNIO

 

   

Pintura "Gerânio", de 1985


GOOD JOUR

 

SONNE, DU

 

SANGRA IN THE

 

BUSER VOM DAY.

 

MY NOMBRE

 É GERÂNIO

 

UND TENHO

 

A  TEAR

 

TO A LIFE

 

 

Poema original "Gerânio", de 1985

 


BÉTULA

 

 

Maria

 

Era uma

Moça, com seus

Lindos Cabelos

de Cristal

e seus Doloridos

Olhos, Olhos,

Olhos, Olhos

Azuis.

Ela Trouxe-me

Uma Flor

Com seu

Amor.

 

 

 

Tal Flor

Era a Desespero

De Uma Lágrima de

Sua Vida.

Em seu Coração

As Asas da Dor

Batiam Forte.

De seus Olhos

Tirou Ela

Uma Bétula

“Toma, é uma

Lembrança de

    Minha

    Vida.

 

 

CRISÂNTEMO

 

Pintura "Crisântemo", de 1985

O brilho Intenso

do teu Amor

Arrebata minhas

lágrimas.

 

Crisântemo

és tão Doce

como o aroma

da Aurora.

 

Crisântemo

deito meus

olhos

sobre

                a

                     tua    vida,

esperando

                          as

                               respostas

para

           o

                            despertar

 

do               Amanhã.


ÍRIS

  

Pequena

    flor,

esperando

      a

aurora,

Vertendo

lágrimas

 

  sobre

     a

delicada

   gota

    de

orvalho

esperando

     o

encanto

    da

manhã

 

   que

 demora

     a

  chegar,

escondendo

     a

   dor

   que

 demora

     a

 passar.

 

 

JACINTO

 

 

O Triste Cortejo

Caminha, silencioso,

pelo

           campo,

levando

                     as

                                 lágrimas

da

               garota

que

               ontem

era          mulher.

 

Eu      amei      seu      coração

com

minha

imaginação,    e

beijei

           sua

                   boca

com

           minhas

           lágrimas.

Ontem,

Ela

chorou

com as

lágrimas da noite,

esperando as

gotas      de

                    orvalho     que

           desceriam

    pela

               flor

                          da

                                  manhã.

          Agora     deixo

          uma   flor   de   jacinto

 cristal

             sobre

                  a

                 sua

                 tristeza.          

 

  

 

RANÚNCULO

 

Pintura "Ranúnculo", de 1985

 

Pequeno

delírio

sobre

o

manto

do

 entardecer,

badalando

no

ar

a

triste

canção

do

vento.

 

 

DÁLIA

Bela Flor

que   canta

      o

  encanto

     da

  manhã

   sobre

  Agonia

     do

    Dia,

  fala-me

  com toda a sinceridade

  das tuas lágrimas

  qual é o passo para

  a  s a l v a ç ã o.

  “Querido irmão, o passo

  para  a  s a l v a ç ã o  é

  a

     dádiva

                 de

                       Amor

que está oculta em

teu coração

                     pela

                             Ilusão.



CAMPÂNULA

 

Querida flor,

arrastando

       o

canto da primavera

pelo silêncio da

manhã, despertando o

coração da menina

com os sussurros

do amor,

 levando a canção do

vento pelo silêncio

            da montanha,

            qual o segredo

            da tua beleza?

            “O amor, o amor, o amor”.

 

  

CRIANÇAS

FLORES

NO

JARDIM

PSICODÉLICO

 

 

As       Crianças       estão       tristes

com      suas         lágrimas,

com      seu        coração                               adormecido

O jardim do amor

agoniza no temor

e na solidão

com todas as flores

mergulhadas num

profundo sono.

As flores da paz

estão a espera

de outro Domingo.

Sem    amor    estão      os

corações

e     tudo     o      que

restou

foram    as       lágrimas

dilaceradas

pela     dor.

Eu     conheço

outro

jardim,

um jardim eterno.

Venham crianças,

para as flores

venham outra vez.

Venham crianças,

venham outra vez

Para outro jardim.

Venham!

Crianças, venham!

Venham ver as cores do Arco-Íris outra vez.

 

 

Lily

 

Garden,

 

I

 

light up

 

With

 

My

 

Shine

 

Your

 

lament.

 

My

 

Name

 

Is

 

Lily,

 

Lily,

 

Lily,

 

Lily.

 

 

·         Versão em inglês do poema Lírio, feita por Marco Alexandre em 2002, para a qual Tom Rapp, líder da lendária banda norte-americana Pearls Before Swine (1967-1971), fez uma versão musical.



Tradução dos poemas Lírio e Gerânio

  

Lírio= Jardim, eu ilumino

Com meu brilho

O teu lamento. Eu me chamo

Lírio, lírio, lírio, lírio.

  

Gerânio= Bom dia sol, você

Sangra no seio do dia, meu

Nome é Gerânio e tenho uma

Lágrima para a vida.

  

 

EDITORA OGMIOS (SEACULUM OBSCURUM)/ GRAVADORA ARTE DEGENERADA

1984-1993

2002-2011

   

                                    A Editora Ogmios (Seaculum Obscurum) – Gravadora Arte Degenerada foi um projeto de arte experimental, criado por Marco Alexandre da Costa Rosário, envolvendo poesia, música e pintura, o qual teve sua existência entre os anos de 1984 e 1993, e foi novamente iniciado a partir de 2002. Seu primeiro nome foi Editora Morangos & Uvas (Seaculum Obscurum), denominação esta que foi usada até 1986. Este nome foi inspirado pelo quadro tríptico O Jardim das Delícias, de Hieronymus Bosch, e pelo filme Morangos Silvestres (SMULTRONSTÄLLET), do diretor sueco Ingmar Bergman. Ogmios é uma antiga divindade celta, conhecida também como o Velho Calvo. Segunda a lenda, de sua língua saiam fios de ouro que enlaçavam as orelhas das pessoas e elas eram forçadas a ouvi-lo. A palavra latina Saeculum foi alterada: a letra e troca de lugar com a letra a, formando a palavra Sea (mar em inglês) culum, ou seja Seaculum Obscurum, ou o mar da obscuridade secular, que é o modo como Marco Alexandre vê sua época. Todos os livros da Editora Ogmios (Seaculum Obscurum) pertencem a série BLITZBUCH (livro-relâmpago). Esta junção de duas palavras alemãs é uma sátira à Blitzkrieg dos nazistas. Juntamente com a Editora Ogmios (Seaculum Obscurum), em 1986 Marco Alexandre criou a Gravadora Arte Degenerada, uma experiência alternativa na área da música. A Editora Ogmios (Seaculum Obscurum) teve bastante influência da música, literatura, pintura e cinema de vários países. Seus dois princípios máximos eram: a arte não se vende e a arte não tem fronteiras.

 

                                    De todas as obras realizadas pela Editora Ogmios (Seaculum Obscurum), as duas mais importantes foram os livros Iluminuras e Guirlanda de Flores Sangrentas. Estas duas obras foram completadas em 2002, pois ficaram inacabadas nos anos em que surgiram (1986 e 1987). Na verdade, alguns poucos poemas e todas as pinturas foram elaborados no ano de 2002, com o objetivo de completar estas duas obras. Depois dos últimos poemas escritos por Marco Alexandre (em 1993), a Editora Ogmios (Seaculum Obscurum) silenciou por muitos anos, embora alguns pedaços de poemas isolados tenham sido feitos no transcorrer dos anos. Em 1994, Marco Alexandre fez uma espécie de coletânea com as músicas que ele gravou em fitas cassete (até hoje conservadas) entre os anos de 1981 e 1988. Em 2001, Marco Alexandre conheceu, através da Internet, o músico americano Tom Rapp, líder do lendário grupo Pearls Before Swine (1967-1971) e uma das maiores influências da Editora Ogmios (Seaculum Obscurum): Marco Alexandre conheceu o trabalho deste grupo em 1983, através do Lp One Nation Underground, lançado pela ESP-DISK em 1967. Tom enviou para Marco Alexandre uma cópia de seu último Cd: A Journal of the Plague Year (1999). Este encontro estimulou Marco Alexandre a recomeçar seus trabalhos na Editora Ogmios (Seaculum Obscurum) no ano de 2002: os textos dos livros originais foram digitados em computador; as músicas foram transferidas para CDs (a partir de março de 2005), poemas foram reconstruídos, livros inacabados foram completados, etc. O primeiro livro da nova fase foi a segunda edição do livro As Flores (de 1985), feita em fevereiro de 2002, a qual foi enviada para Tom Rapp, em Port Charlotte, Flórida, Estados Unidos da América. Tom disse o seguinte sobre o livro As Flores: “I got the book and it’s GREAT”. Tom Rapp iria recitar o poema Lírio (do livro As Flores) em seu show, no festival Terrastock V, realizado em outubro de 2002 nos Estados Unidos da América. Porém, por problemas de tempo de apresentação não foi possível realizar tal projeto. Entretanto, ele compôs uma música para o poema Lírio, que foi enviada para Marco Alexandre em novembro de 2002. Em agosto de 2002, Marco Alexandre enviou a segunda edição do livro Invocações (de 1991) para Meredith Monk e Patti Smith, em Nova Iorque, Estado de Nova Iorque, Estados Unidos da América. Meredith Monk disse sobre o livro Invocações: “I want to tell you that I did receive the book and the poems. Thank so much... I am very touched and will cherish them”. Patti Smith jamais se pronunciou a respeito do livro. Marco Alexandre voltou a fazer pinturas em 18 de setembro de 2002, quinze anos depois do último trabalho nesta área. Ele fez várias pinturas para os livros O Tecelão de Paisagens, Iluminuras e Guirlanda de Flores Sangrentas. Estes três livros são conhecidos como livros-música. Marco Alexandre também começou a elaborar novos livros de pintura (Surrealística III e IV) e um novo livro-música começou a ser elaborado em janeiro de 2003 (Winona e as Cadeiras de Rodas) e foi concluído em julho de 2005. Outro livro-música, New York – Paris, começou a ser elaborado em junho de 2004 e foi concluído em abril de 2005. Um outro grande poema deveria ter sido escrito ainda em 2003, sendo seu título  Cartas às Américas, e talvez tivesse a colaboração de Meredith Monk e de Tom Rapp. Pelo menos eles mostraram interesse em participar. Porém, o projeto não foi sequer iniciado. A obra completa da Editora Ogmios (Seaculum Obscurum), ou o que restou dela, tem o seguinte título: Veio do Pó e Virou Resto HumanoEditora Ogmios – 1984 - 2011 (o título foi tirado de um verso do livro Invocações, de 1991). Exceto os poemas que foram reconstruídos e os livros que foram completados (com poemas e pinturas) em 2002, as novas edições dos trabalhos da Editora Ogmios (Seaculum Obscurum) têm os mesmos poemas, músicas, pinturas e desenhos que foram feitos entre os anos de 1984 e 1993. Marco Alexandre jamais revisou qualquer trabalho que fez na poesia, na música e na pintura. Tudo foi composto, escrito, pintado e tocado (gravado) em estado bruto e produzido sem qualquer reparo.

 

                                    Marco Alexandre da Costa Rosário nasceu na cidade de Belém, Estado do Pará, Brasil, em 7 de fevereiro de 1966. Atualmente, Marco Alexandre vive, desde fevereiro de 2003, na cidade de Santarém, Estado do Pará, no meio da Amazônia Brasileira. Ele sempre foi um homem pobre e sempre teve muitas dificuldades para realizar os trabalhos da Editora Ogmios (Seaculum Obscurum). Entretanto, a partir de 2002, os estranhos livros que ele escreveu começaram a circular pelo mundo e, em 2005, um site foi criado na Internet para comemorar os 21 anos da Editora Ogmios (Seaculum Obscurum) e da Gravadora Arte Degenerada.

 

                                    Estes são os trabalhos feitos por Marco Alexandre Rosário na Editora Ogmios (Seaculum Obscurum) – Gravadora Arte Degenerada:

 

- Poemas - (poesia/desenhos) - 1984.

 

- Um Conto Sobre a Vida de São Francisco de Assis - (conto/pintura - obra desaparecida) - 1985.

 

- Uns Dias na Infância  - (conto infantil/desenhos) – 1985.

 

- As Cores  - (poesia/pintura) – 1985.

 

- As Flores  - (poesia/pintura) – 1985.

 

- O Tecelão de Paisagens  - (poesia/música/pintura) – março/1986.

 

- Sete Pérolas para Hollandri - (poesia) – junho/1986.

 

- Surrealística I - (pintura – Obra desaparecida) – 1986.

 

- Iluminuras - As Iluminações que Rimbaud não Iluminou no Jardim das Bonecas Manchadas de Sangue - (poesia/música/pintura) – outubro/1986.

 

- Guirlanda de Flores Sangrentas  - (poesia/música/pintura) – fevereiro/1987.

 

- Surrealística II  - (pintura – obra desaparecida) – 1987.

 

- América Latrina & o Gigolô Americano – (Poesia) – 1988.

 

- Invocações - (Poesia) – 1991.

 

- Amálgama – Uma Coleção de Obscenidades - (Poesia) – 1981-1992. Coletânea com vários poemas.

 

- O Último Círculo de Pedra – (poesia/música/pintura) – (coletânea, incluindo os melhores projetos musicais feitos entre 1981 e 1988) - 1994. (estão inseridas algumas músicas feitas em 2002 e 2003).

 

- Surrealística III – (Pintura) – setembro/2002.

 

- Surrealística IV – (Pintura) – setembro/2002.

 

- Canções para Marina - (poesia/música/pintura) – setembro/2003.

 

- Winona e as Cadeiras de Rodas – Compacto - (poesia/música) – outubro/2003.

 

- Winona e as Cadeiras de rodas – álbum - (poesia/música/pintura) – janeirol/2003 – julho/2005.

 

- New York–Paris – (poesia/música/pintura) – junho/2004 - abril/2005.

 

OBS: Texto escrito em 2002 (com acréscimos em 2005, 2008 e 2011).

  

EDITORA MORANGOS & UVAS

(SEACULUM OBSCURUM)

 

EDITORA OGMIOS

(SEACULUM OBSCURUM)

 

                       GRAVADORA ARTE DEGENERADA

 

SÉRIE BLITZBUCH

 

(1984 – 1993)

 

(2002-2011)

 

AS FLORES

 

1ª EDIÇÃO: 1985

1 exemplar.

(Marco Alexandre, Belém, Pará, Brasil)

 

2ª EDIÇÃO: 2002

2 exemplares.

(Tom Rapp, Port Charlotte, Florida, USA)

(Marco Alexandre, Belém, Pará, Brasil)

(Meredith Monk, New York, New York, USA)

 

“Tudo o que é esquecido

permanece em sonhos obscuros do passado...

ameaçando sempre retornar.”

(Velvet Goldmine)

  

Editora Ogmios (Seaculum Obscurum):

 

Website: www.seaculumobscurum.com

 

e-mail: editoraogmios@yahoo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário